Os impactos das mudanças climáticas no ambiente como o aumento do nível do mar, tempestades, secas e ondas de calor representam uma séria ameaça para populações de todas as regiões do mundo. Eventos extremos climáticos, causados pelo aquecimento global, poderão afetar, por exemplo, a disponibilidade de água potável, a distribuição de energia elétrica e os sistemas de transporte das cidades. 

Em 2018, um relatório publicado pela revista científica britânica The Lancet fez um alerta para as graves consequências das ondas de calor também para a saúde humana.

Neste contexto, governos locais são fundamentais para implementar políticas públicas relativas às mudanças climáticas. 

Para monitorar essa questão, um grupo de pesquisadores do Laboratório de Dimensões Sociais das Mudanças Ambientais Globais no Hemisfério Sul (LABGEC) vinculado Núcleo de Estudos e Pesquisas Ambientais (Nepam) da Unicamp, em parceria com o Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH) e com a Universidade de São Paulo (USP), vai analisar o desafio da governança das mudanças climáticas no Estado de São Paulo. O estudo busca descobrir quem são os principais atores políticos, econômicos e sociais que influenciam ações relacionadas à adaptação e mitigação previstas no Acordo de Paris no nível local. 

O projeto prevê ainda analisar o perfil das respostas políticas dos governos locais às mudanças climáticas, a interlocução dessas políticas com outros níveis de governança pública (ações estatais e nacionais), bem como entre os setores e agentes envolvidos.

Para isso, o estudo, apoiado pelo Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais e coordenado pela professora Leila da Costa Ferreira, do Nepam, vai analisar as relações entre a política estadual e nacional de mudanças climáticas e as ações municipais em cinco cidades do estado de São Paulo: Campinas, São José dos Campos, Santos, Sorocaba e Ribeirão Preto. 

A metodologia do projeto, centralizada na análise multinível e multiatores, consiste na coleta de dados, realização de entrevistas e reuniões participativas com os principais atores políticos, pesquisadores, jornalistas, formuladores de políticas públicas e representantes da sociedade civil para o enfrentamento das mudanças climáticas.

“A principal questão científica desta pesquisa é: como o Brasil e o Estado de São Paulo respondem ao desafio das mudanças climáticas em termos de estratégias políticas e arranjos institucionais?”, diz Leila. 

Outras questões que serão abordadas nas análises por cidades são as estratégias, os interesses, os incentivos e as orientações normativas adotadas pelos governos locais em relação à formulação e implementação de políticas públicas para enfrentar o desafio colocado pela crise climática.

Para Leila, estas questões envolvem a “análise dos riscos de mudança climática nessas cidades, como a agenda climática é abordada e adaptada, quais estratégias de mitigação e adaptação são adotadas, como foram implementadas e de que maneira os agentes públicos atuam”.

Leila conduz a pesquisa em colaboração com Gabriela Marques Di Giulio, professora do Departamento de Saúde Ambiental da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), e Fabiana Barbi, pesquisadora de pós-doutorado do Nepam da Unicamp.

“A principal contribuição desta pesquisa é abordar a lacuna de conhecimento sobre o papel das cidades médias brasileiras na governança das mudanças climáticas e o processo de internalização da questão climática em termos de estratégias políticas e arranjos institucionais nas cidades brasileiras”, disse Fabiana Barbi.

A pesquisadora explicou que o projeto pode contribuir para a análise das limitações das respostas políticas relacionadas à mudança climática no contexto do antropoceno e ao avanço do debate sobre a questão climática em nível local, estadual, nacional e mundial. 

O projeto “O desafio da governança das mudanças climáticas no Brasil: uma análise multinível e multiatores (o caso do estado de São Paulo)” é interdisciplinar e tem a participação de pesquisadores de diversas áreas: Mariana Delgado Barbieri, cientista social, mestre em sociologia e doutora em Ambiente e Sociedade pela Unicamp; Edson Pereira de Souza Leão Neto, analista internacional, mestre em Ciências e doutorando em Ambiente e Sociedade; Niklas Weins, economista político, mestre em Tecnologia e Sociedade e doutorando em Ambiente e Sociedade; Lígia Amoroso, bióloga, mestre em Zoologia e Conservação da Fauna e doutoranda em Ambiente e Sociedade; Luis Fernando Freitas Penteado, advogado, mestre em Direito Ambiental e doutorando em Ambiente e Sociedade; Felipe Bertuluci, cientista social, mestre em Sociologia e doutorando em Ambiente e Sociedade; Marcelo Soeira, engenheiro civil, mestre em Sistemas de Infraestrutura Urbana, doutorando em Ambiente e Sociedade; e Eduardo Gutierrez, economista e mestrando em Sociologia pela Unicamp. 

Fonte: https://www.nepam.unicamp.br/estudo-do-nepam-vai-analisar-a-governanca-climatica-nas-cidades-medias-paulistas/

Foto: Wikimedia Commons

Saiba mais:

Projeto O desafio da governança das mudanças climáticas no Brasil: uma análise multinível e multiatores (o caso do estado de São Paulo)”

Programa FAPESP de Pesquisa sobre Mudanças Climáticas Globais (PFPMCG)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *